Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Facebook é adotado de forma complementar em aulas da disciplina do curso de Rede de Computadores

Publicado: Quarta, 25 de Março de 2020, 15h16 | Última atualização em Quarta, 25 de Março de 2020, 15h16 | Acessos: 121015

Atividade em Sala de Aula Ainda presencialUma transmissão de aula diferente vem sendo adotada no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Porto Velho Zona Norte. Com a suspensão das aulas presenciais desde o último dia 18 de março, o uso da plataforma do Facebook foi adotada para apoiar, neste momento, a aprendizagem dos estudantes.

O professor Jhordano Malacarne Bravim utiliza a ferramenta “Grupo Privado” com acadêmicos do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. O acesso ao grupo é restrito aos alunos de cada turma, coordenação do curso e gestão de ensino do Campus Porto Velho Zona Norte (demanda aprovação do docente o acesso ao grupo em que ele publica os vídeos). O grupo do Facebook não é um local de debates, que ocorrem no AVA/IFRO, onde podem ser realizados o acompanhamento e o controle de participação/presença, e ainda os alunos podem interagir por meio do chat e das atividades que forem definidas. Também há o suporte por WhatsApp em outros horários.

“Eu já tenho o hábito de utilizar o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) para o apoio ao ensino presencial. Normalmente é utilizado como repositório de conteúdo para estudo individual e posterior debate em sala de aula, ou então para realização de atividades não presenciais ou híbridas. Com a suspensão das atividades presenciais por força de reduzirmos o contágio do novo Coronavírus, essas atividades tiveram que ser reforçadas”, afirma.

O conteúdo textual e/ou de mídia da disciplina Fundamentos de Redes continua sendo divulgado normalmente, para evitar que os alunos tenham uma mudança brusca na metodologia. Com a diferença de que foi adicionado conteúdo de vídeo com a respectiva aula.

Segundo o docente, a aula é gravada com recursos simples, basicamente um notebook e o sistema de câmera e microfone do mesmo equipamento. O vídeo da aula ocorre com a apresentação do conteúdo no mesmo formato que seria em sala de aula (basicamente slides e os demais conteúdos de mídia, como vídeos e outros materiais). “Eu fico aparecendo no canto inferior direito da tela explicando todo o conteúdo e as atividades deixadas. Uma coisa legal também é que em todos os vídeos deixo uma mensagem rápida para eles ficarem em casa e saírem somente por necessidade”, completa.

Para tornar o conteúdo o mais acessível possível aos alunos, foi feito um levantamento nos grupos de WhatsApp, questionando se possuíam conta no Facebook e, devido a maioria possuir, essa plataforma foi definida. No entanto, a escolha do Facebook como instrumento não foi definida de forma aleatória ou por preferência pessoal do professor.

Conforme ele diz, “alguns de nossos alunos não possuem computador em casa ou assinatura de internet fixa e o único instrumento será o smartphone para acompanhamento. Com isso, como é de conhecimento, a maioria dos planos de dados para smartphones possui acesso às redes sociais ‘ilimitado’, ou seja, não desconta o tráfego da franquia de dados contratada. Sendo assim, nossos alunos poderiam assistir os vídeos sem ‘acabar com seus planos de dados’ ou exigir que fizessem novas contratações desse serviço”, explica sobre a escolha de uso de uma mídia social para disponibilização de aulas.

Os trabalhos ocorrem nos seguintes endereços do Facebook:

IFRO CST Redes 2020/1 - Fundamentos de redes

IFRO CST Redes 2019/1 - Interconexão de redes

IFRO CST Redes 2018/1 - Serviços de redes II

 

  • Atividade_em_Sala_de_Aula_-_Ainda_presencial
  • Aulas_ocorrendo_remotamente
Fim do conteúdo da página
-->