Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Pós-Graduação Lato Sensu em Ensino de Ciências e Matemática do Campus Cacoal conclui atividades do ano de 2019

Publicado: Segunda, 23 de Dezembro de 2019, 12h45 | Última atualização em Segunda, 23 de Dezembro de 2019, 12h56 | Acessos: 63966

Defesa TCC na pós do campus CacoalO curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Ensino de Ciências e Matemática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Cacoal, conclui atividades da segunda turma.

O objetivo do curso é oportunizar a qualificação profissional, principalmente no que se refere ao campo do planejamento, prática pedagógica e execução de aulas, acompanhamento e avaliação do processo educativo, e elaboração de material técnico-didático. Está entre os propósitos da formação, ampliar a capacidade de integração interdisciplinar, entre as diversas dimensões envolvidas na área educacional, oferecendo oportunidades de desenvolvimento profissional, por meio de práticas, conceitos, técnicas e habilidades que permitam reunir condições possíveis para se auferirem bons resultados na desejada eficiência e eficácia educacional. 

Presencial e gratuito, o curso possui carga horária de 400 horas, alcançando o público formado por profissionais educadores licenciados e bacharéis que estejam em efetivo exercício da docência ou não, preferencialmente aqueles que atuam no Ensino Médio. Também se destina a profissionais que possuem diploma de curso superior e atuam com gestão educacional, supervisão e orientação em escolas de Ensino Fundamental e Médio. Ao final do curso, é outorgado ao estudante o grau de Especialista em Ensino de Ciências e Matemática.

“Desde 2016 o Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Ensino de Ciências e Matemática já capacitou mais de 30 educadores e profissionais de áreas afins. Além do município de Cacoal, nosso programa atende profissionais de diversos municípios do estado, inclusive da capital, relata o Coordenador do Programa, José de Anchieta Almeida da Silva.

“Por meio do nosso programa de especialização capacitamos os educadores e profissionais de áreas afins de modo que eles passem a se engajar na busca por seu próprio aprimoramento, agregando conhecimentos a si mesmo, enquanto profissional, mas também gerando transformação no contexto educacional de Cacoal e região. Podemos citar também com exemplo, três alunos que a partir da nossa capacitação lato sensu, participaram de processo seletivo stricto sensu (mestrado) e foram aprovados. Isso para nós é motivo de muito orgulho”, acrescentou o professor  José de Anchieta.

Um dos estudos, realizado pelo aluno Mopidaor Suruí, teve como objetivo elevar e enaltecer o conhecimento dos integrantes mais velhos da comunidade para transmitir
aos mais jovens, pesquisando acerca da Etnogeometria do povo Paiter. A defesa do trabalho de conclusão de curso ocorreu no mês de novembrro. Em sua pesquisa, Mopidaor Suruí, que é professor na sua aldeia, aplicou seus conhecimentos na própria sala de aula, abordando Etnomatemática, buscando produzir de materiais didáticos a serem utilizados como ferramentas metodológicas nas escolas indígenas do povo Paiter.

“O grande legado para nós do Programa de Pós-graduação Lato Sensu em Ensino de Ciências e Matemática é justamente esse, que  nosso aluno Mopidaor Suruí, por meio da pesquisa conquistou, ou seja, a partir da sua investigação o aluno, que também é professor, deixará à sua comunidade ferramentas didáticas para que outros profissionais possam replica-las em sua prática”, destacou o professor orientador da pesquisa, Antônio Ferreira Neto.

Com o intuito de aplicar os conhecimentos adquiridos no programa de pós-graduação do IFRO Campus Cacoal, vinculados aos saberes tradicionais de seu povo, Mopidaor realizou entrevistas com os integrantes mais velhos da Aldeia Paiter da terra indígena Sete Setembro, onde o povo é dividido em quatro clãs: Gameb, Makor, Gapgir e Kaban. Os resultados encontrados apontaram para a utilização de várias figuras geométricas presentes na cultura Paiter, em especial, nos artesanatos.

Dentro dessa geometria, foram escolhidas as principais figuras para serem estudadas, como o quadrado, a circunferência, a reta vertical, a reta horizontal, a reta inclinada e a reta perpendicular. A partir dos relatos colhidos nas entrevistas, Mopidaor percebeu que as figuras geométricas compõem a cultura Paiter, desde a construção da maloca, pintura corporal, nos traços dos artesanatos, como panela de barro, flechas e outros adereços.

“Como estamos envolvidos pela sociedade não indígena e precisamos ter conhecimento dos dois mundos: conhecimento indígena e não indígena, entendemos ser de suma importância usar do conhecimento tradicional para ensinar a matemática ocidental na sala de aula. Forma esta encontrada pelos Paiter para manter e disseminar a sua cultura, fazendo com que os saberes tradicionais se façam cada vez mais presentes nas salas de aula. A minha pesquisa foi realizada na terra indígena Sete de Setembro, linha nove, aldeia Paiter Suruí, onde eu resido há 35 anos. Nesse processo de pesquisa acompanhei todos momentos de atividades da comunidade e também a realização das modalidades do festival dos dias semana indígena”, conta o pesquisador.

Sobre o desenvolvimento do projeto, ele ainda explica: “realizamos diversas aulas práticas onde os alunos foram aprendendo com os mais velhos, ou seja, com o auxílio da teoria, fomos aplicando as práticas já realizadas pelos mais experientes, tudo isso voltado à matemática e especificamente à geometria. O apoio de IFRO foi por meio do meu orientador, professor Antonio, que acompanhou todo o meu trabalho de pesquisa e também de outras, como por exemplo do artesanato feito pelas mulheres, e nesse artesanato também há a presença da geometria. Então, a partir desse compartilhamento do meu orientador, todos nós passamos a conhecer a Etnomatemática sobre a geometria. Eu, como professor de matemática da aldeia, avancei o nível do meu conhecimento profissional e ao mesmo tempo compartilho tudo isso com meus alunos, por isso dou grande importância ao Instituto Federal de Educacão de Rondonia e ao programa Pós-Graduação Lato Sensu em Ensino de Ciências e Matemática do IFRO Campus Cacoal”, conclui Mopidaor Suruí.

Fim do conteúdo da página
-->