Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Representantes do Campus Cacoal visitam unidades do Instituto Federal do Espírito Santo

Publicado: Segunda, 23 de Dezembro de 2019, 13h30 | Última atualização em Segunda, 23 de Dezembro de 2019, 13h30 | Acessos: 31292

Visita Cacoal ao IFES 4Durante o período de 08 a 13/12, uma Comissão de Servidores do Instituto Federal de Rondônia (IFRO), Campus Cacoal, visitaram as dependências do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), Campi Venda Nova do Imigrante e Alegre, com objetivo de conhecer o setor produtivo de café, desde o plantio até o processo de pós-colheita e entender o atendimento técnico e comercial ao cafeicultor.

A comitiva foi composta pelo Diretor-Geral do Campus Cacoal, Davys Sleman de Negreiros, a Chefe do Departamento de Extensão, Larissa Cristina Torrezani Starling Reinicke, os Técnicos Agrícolas do Departamento de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão, Heleno Soares de Oliveira e Fernando Silva Cardoso,  o Coordenador do Curso de Agroecologia, Rodolfo Gustavo Teixeira Ribas, e o Coordenador Laboratório de Solos do Curso de Agropecuária, Leonardo dos Santos Franca Schockness.

Em Venda Nova do Imigrante, além de conhecerem as dependências da instituição, também conheceram os processos de fermentação de cafés, os Laboratórios de Qualidade de Café pertencente àquele campus, assim como as propriedades atendidas. Segundo o Diretor-Geral do IFRO Campus Cacoal, a equipe tem buscado  experiências exitosas para implantação no Estado. “Por Cacoal ser nossa capital do café e, graças a uma parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, órgão do Ministério da Economia, agradecemos todo o apoio e a disponibilidade das equipes em ambos os campi. A ABDI está investindo R$ 482 mil esse ano em nosso campus, na implantação do Laboratório de Solos e Plantas. Além do convênio com EMATER, introduzindo equipamentos voltados ao atendimento do cafeicultor no pós-colheita, investindo R$ 246.100,00 num Laboratório de Análise Física e Sensorial, como também o Laboratório de Microtorrefação”, afirmou Davys Sleman de Negreiros.

O direitor ainda destacou que a ideia é atender a 15 municípios da região que pertencem ao Indicador Geográfico que está sendo estruturado, com a análise de solos e outras prestações de serviço, favorecendo o plantio do grão, seu beneficiamento e pós-colheita, diminuindo os custos para o pequeno produtor e estreitando os laços com o IFRO Campus Cacoal, como já feito com o IFSul de Minas em Machado e Muzambinho, agora o IFES em Venda Nova do Imigrante e Alegre.

Da mesma forma, como destaca o Coordenador do Curso de Agroecologia do IFRO Campus Cacoal, Rodolfo Gustavo Teixeira Ribas, “com essas visitas nos Institutos Federais articulados aos arranjos produtivos locais e sociais relacionados a cultura do café, temos criado parâmetros para melhorar a qualidade do solo, realizar os ajustes necessários para fertilidade adequada e consequentemente a nutrição ideal da planta, o que resultará num café de qualidade e no aumento da sua produtividade”.

  • Visita_Cacoal_ao_IFES_1
  • Visita_Cacoal_ao_IFES_2
  • Visita_Cacoal_ao_IFES_3
  • Visita_Cacoal_ao_IFES_4
                

Fim do conteúdo da página
-->