Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Alunos do Curso Técnico em Informática do IFRO Campus Cacoal desenvolvem projeto solidário  

Publicado: Terça, 07 de Mai de 2019, 17h26 | Última atualização em Terça, 07 de Mai de 2019, 17h37 | Acessos: 856

Campus Cacoal Baú Solidário 1

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Cacoal, tem sido palco de diversas ações solidárias desenvolvidas autonomamente pelos seus alunos. No início do ano, duas alunas desenvolveram uma ação voltada às mulheres da unidade. As alunas deram um exemplo solidário e despertaram em outros alunos o desejo de também realizar algo em favor do próximo.

O Diretor-Geral Davys Sleman de Negreiros, em reunião de líderes de turma, relatou e elogiou a prática das alunas. O gestor vem incentivando a todos os estudantes para que possam desenvolver ações voltadas ao próximo. “Nosso trabalho, aqui no campus, está pautado nas relações humanas e na ética. A prática da solidariedade estabelece conexões em diversas esferas da sociedade. Ensinar é desenvolver valores na sociedade, portanto, promover a solidariedade entre os alunos é o primeiro passo na busca da equidade social”, disse Davys.

Desta vez, a mobilização partiu de uma turma inteira. Os alunos do 3º ano B do Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio, sensibilizados pela prática das alunas do Curso Técnico em Agroecologia Integrado ao Ensino Médio, decidiram realizar uma ação voltada às instituições que atendem a população carente dos municípios de Cacoal, Pimenta Bueno e Espigão D’Oeste. Os alunos criaram o Projeto “Baú Solidário” com o intuito de arrecadar itens como: roupas, calçados e roupas de camas. No início, os alunos precisavam de uma caixa para a coleta das doações, mas, com ajuda da Coordenação de Apoio ao Educando (CAED), os alunos receberam do campus uma espécie de baú, que a princípio era de equipamentos para cafeicultura, pertencente à agroindústria da unidade.

Com o baú em mãos e por iniciativa própria, os alunos dividiram as tarefas iniciais. Uma parte se encarregou de decorar a caixa, transformando-a em baú, e a posicionar no corredor de maior fluxo no campus, outros alunos criaram a arte do cartaz para divulgação e alguns ficaram responsáveis por visitar as turmas de todos os cursos para fazer a divulgação inicial do projeto. Mais uma vez, os alunos em geral, abraçaram uma atitude solidária e já na primeira semana o baú estava lotado de doações. “Nesta semana pretendemos passar novamente nas salas para reforçar o pedido de doações, mas, principalmente, agradecer as primeiras ajudas, pois os alunos doaram bastante, na verdade, ficamos surpresos com tamanha arrecadação”, contou Gabriel Bordignon Nogueira Silva.

Devido à grande adesão dos alunos, os estudantes do Técnico em Informática decidiram estender o projeto até final deste mês, no mínimo. Enquanto arrecadam, eles já estão fazendo um levantamento a respeito das instituições que irão receber o que for arrecadado. “A ideia é distribuir entre as cidades de Cacoal, Pimenta Bueno e Espigão D’Oeste que são cidades pertencentes a maior parte dos alunos do IFRO, nada mais justo do que ajudar as cidades de onde está vindo a maior parte das doações”, explicou Laura Beatriz Silva Santos.

Conforme vão recolhendo as doações, os estudantes já vão fazendo a categorização para que futuramente possam distribuir de maneira correta as doações às instituições que atendam pessoas carentes.

Quanto à repercussão e adesão do projeto, Gabriel e Laura revelam que estão impressionados. “Eu esperava algumas sacolas. No ensino médio, a galera está muito ocupada com trabalho de escola, chega em casa vai fazer trabalho, se distrai nas redes sociais, aí esquece de falar com a mãe, que é quem geralmente cuida dessas coisas. Não digo isso por que penso que exista uma falta de consideração, mas sim por falta de costume mesmo, nós adolescentes geralmente esquecemos muito de coisas que não estão ligadas à nossa rotina”, relatou Gabriel.

Laura e Gabriel ainda falaram a respeito da sensação em se praticar um ato solidário e perceber que, neste ato, estão recebendo apoio da comunidade acadêmica. “Passar próximo ao baú e perceber que uma nova sacola foi depositada ali, causa em nós uma sensação que não dá pra explicar. Sabe aquele sorriso que você não consegue segurar? É uma sensação maravilhosa”, concluiu Laura.

  • Campus_Cacoal_-_Baú_Solidário_1
  • Campus_Cacoal_-_Baú_Solidário_2

 

Fim do conteúdo da página
-->