Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Alunos do IFRO visitaram Usina Hidrelétrica de Itaipu

Publicado: Quinta, 17 de Março de 2016, 09h15 | Última atualização em Sexta, 18 de Março de 2016, 09h16

Como forma de complementar as atividades desenvolvidas durante as aulas do Curso Técnico em Eletromecânica Subsequente, ofertado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Vilhena, 20 alunos visitaram a Usina Hidrelétrica de Itaipu, em de Foz do Iguaçu (PR). Na oportunidade, os estudantes puderam verificar o funcionamento de uma das maiores geradoras de energia limpa e renovável do mundo.

Durante a visita, acompanhada por professores do curso, os alunos, munidos de equipamentos de proteção individual, visualizaram o vertedouro e também o muro de contenção da barragem da usina. Ao longo do percurso, os estudantes puderam observar a vastidão do reservatório da barragem e tiveram contato com parte subterrânea das instalações, local destinado à parte operacional e de monitoramento de todo o sistema da usina binacional. Outro setor visitado pelos estudantes foi o andar de geração de energia.

Segundo a coordenadora do Curso Técnico em Eletromecânica Subsequente, professora Adriana Coelho, a visita técnica possibilitou uma integração, principalmente pela troca de experiências entre alunos, professores e profissionais da área, proporcionando uma visão real do ambiente de trabalho. “Dessa maneira, os alunos não somente constataram na empresa visitada o conhecimento adquirido nas atividades acadêmicas, mas agregaram valores pessoais e profissionais”, explanou.

Para o estudante Marcelo Costa de Oliveira, a experiência de visitar a usina binacional propiciou a assimilação e fixação dos conhecimentos adquiridos no decorrer do curso.  “O corpo de funcionários da Itaipu foi muito acolhedor e prestativo, sanando todas as dúvidas e curiosidades durante o percurso, tornando extremamente satisfatória a visita que nos proporcionou a visão prática de um sistema operacional complexo”, descreveu.

Fim do conteúdo da página
-->