Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Município de Guajará-Mirim completa 89 anos de idade

Publicado: Segunda, 09 de Abril de 2018, 19h06 | Última atualização em Terça, 10 de Abril de 2018, 08h10 | Acessos: 1801

Foto da fachada de Guajara

Nesta terça-feira, 10 de abril, o município de Guajará-Mirim completa 89 anos de fundação. A Pérola do Mamoré, como também é conhecida a cidade, fica a 330 de quilômetros da capital de Rondônia, fazendo fronteira com a Bolívia e possuindo dois distritos, o de Iata e de Surpresa, nas margens do rios Mamoré e Guaporé. Conforme o IBGE, a população estimada em 2017 era superior a 47 mil pessoas. Passando a atender a região em 2011, o IFRO (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia) chegou ao município primeiro com cursos de educação a distância ofertados no polo que representava a instituição na cidade. Em 2016, ocorreu em Brasília a inauguração oficial do Campus Guajará-Mirim, após conclusão da obra e início das primeiras turmas na unidade própria em julho de 2015.

A instituição tem procurado ser um diferencial para o município, ofertando novas possibilidades de formação para a comunidade local e circunvizinha. Segundo a Diretora-Geral do Campus Guajará-Mirim, Elaine Carvalho, o IFRO Campus Guajará-Mirim é hoje “reconhecido pela sociedade como uma escola de qualidade, que proporciona aos jovens de toda região a oportunidade de crescerem como cidadãos e profissionais. Juntamente com parceiros importantes, tais como a SEDUC (Secretaria de Estado da Educação) através das escolas Simom Bolivar e Cláudio Fialho, além da ASCANOVI (Associação Catadores de Materiais Recicláveis Nova Vida), NUVEPA (Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Ambiental), Secretaria Municipal de Saúde, Núcleo Municipal de Educação Inclusiva, Receita Federal, Polícia Federal, Justiça Federal, FUNAI, Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, SEMTAS (Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social), Univerdad Autónoma del Beni, o exército e a UNIR, o IFRO Campus Guajará-Mirim a partir de metodologias pautadas na conjuntura Ensino, Pesquisa e Extensão, tem criado um mundo de oportunidades aos jovens de toda a região”.

A Coordenadora do Curso Técnico em Biotecnologia, Cícera Santos, ressalta que o “IFRO trouxe a oportunidade de a população guajará-mirense ter acesso a uma educação de qualidade, com professores altamente capacitados, onde são formados profissionais críticos, éticos e que irão contribuir para o desenvolvimento social, econômico e cultural da região”.

Atualmente estão em funcionamento 11 cursos, com 584 matrículas totais, sendo 483 alunos no ensino presencial e 101 na educação a distância matriculados no polo de EaD de Guajará-Mirim. “O aluno aqui formado transcende a educação científica e tecnicista, porque o IFRO atua também na formação social do aluno. A qualidade dos profissionais e a relação aluno-professor são outro diferencial do campus e isto tem despertado interesse na população, podendo ser visto pela grande demanda nos processos seletivos”, afirma o professor Marcelo Holanda. Para o docente, por meio de suas ações, o Instituto Federal vem conquistando a credibilidade da população e se tornando referência na fronteira.

O IFRO busca, ainda, melhorar a condição dos jovens e alavancar a economia local, mediante o atendimento à comunidade. Assim como recebe alunos vindos de comunidade indígenas e de Nova Mamoré, recebe alunos da cidade coirmã Guayaramerín, que pertencente ao departamento do Beni/Bolívia e abriga uma população superior a 40 mil habitantes. Conforme a Coordenadora da CGP (Coordenação de Gestão de Pessoas), Gina Paredes, o “Campus Guajará-Mirim oferece ao município educação profissional e tecnológica de qualidade, pública e gratuita, nas diferentes modalidades, preparando pessoas para o pleno exercício da cidadania e contribuindo para o desenvolvimento social e econômico local, através de ações de ensino, pesquisa e extensão”.

Entre os pontos de destaque do município, estão os atrativos turísticos: apresentações folclóricas das associações Boi-bumbá Flor do Campo e Malhadinho, estrada de Ferro Madeira-Mamoré, Bumbódromo de Guajará-Mirim, Museu Histórico Municipal, assim como os rios, encontro das águas do Mamoré com Pacaás Novos, balneários, mata preservada, parques, passeios de barcos, artesanato representando a cultura indígena, ribeirinha e de seringueiros.

Devido as áreas protegidas que detém, recebeu o título de Cidade Verde, outorgado pelo Instituto Ambiental Biosfera. As Unidades de Conservação (Terras Indígenas, Reservas Extrativistas e Biológicas) ocupam 93% da área total de preservação de fauna e flora do município. Entre as cachoeiras e corredeiras principais estão Guajará Mirim, Guajará-Açú, Bananeira, Pau Grande, Lage, Praia da Pedra da Morte e Praia das Três Bocas, mais a vista panorâmica do Parque Municipal Natural Serra dos Parecis e as praias fluviais formadas durante o verão.

A Assistente Social (CAED/IFRO), Altina Maria Pereira de Souza, além de parabenizar o município por mais um ano de emancipação, agradece “a receptividade à implantação dessa unidade que veio como um presente, pois tem nos agraciado através de benefícios educacionais e sociais por meio de curso em várias modalidades, projetos de pesquisas e extensão e pela assistência estudantil que visa bem-estar biopsicossocial, além da permanência e êxito do estudante”.

  • Foto_da_fachada_de_Guajara
  • GUAJARÁ_-MIRIM_-_CATEDRAL
  • GUAJARÁ_-MIRIM_-_Museo
  • GUAJARÁ_-MIRIM_-_TREM
  • foto_Campus_Guajará
Fim do conteúdo da página
-->