Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Representantes do IFRO têm destaque em pesquisas apresentadas

Publicado: Terça, 08 de Outubro de 2019, 09h19 | Última atualização em Quinta, 10 de Outubro de 2019, 11h42 | Acessos: 373

Apresentacao OralO IFRO (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia) deve chegar ao final de 2019 com 203 servidores beneficiados para qualificação em programas de mestrado e doutorado, dentro de um quadro total de 1,2 mil profissionais.  A política de afastamento beneficia servidores de todos os campi.

No Campus Ariquemes, entre as atividades desenvolvidas pelo Professor Antonio Bisconsin Junior, afastado integralmente para cursar doutorado na Unicamp, Campinas (SP), de 2017 a 2020, está a apresentação de dois trabalhos em congresso na Escócia, e a publicação de artigo científico na Food Quality and Preference, que possui Qualis A1.

E do Campus Colorado do Oeste, o servidor Técnico em Alimentos, Edmar da Costa Alves, conseguiu publicar em periódicos de referência internacional. Os títulos dos estudos são “Strategies for reducing the environmental impacts of organic mozzarella cheese production”, publicado no Journal Cleaner Production (DOI: 10.1016/j.jclepro.2019.03.006), e “Effect of handling and feeding strategies in the environmental performance of buffalo milk in Northeastern Brazil”, que está no The International Journal of Life Cycle Assessment (DOI: 10.1007/s11367-018-1547-4).  

“A política de afastamento do IFRO é fundamental para alcançar uma melhora na capacitação dos servidores, pois nos permite estar presente e trabalhar nos melhores centros de pesquisa do país e do mundo. Desta maneira, conseguimos aprender novas técnicas, entendemos quais são as discussões mais relevantes da nossa área de atuação e fechamos parcerias que nos dão suporte para desenvolver um trabalho de melhor qualidade no IFRO”, afirma Antonio Bisconsin.

O evento Pangborn em Edimburgo (Escócia) ocorreu de 28 de julho a 01 de agosto de 2019, considerado o maior evento de estudo sensorial e de consumidor do mundo, na qual o representante do IFRO fez apresentação oral e na forma de pôster. Ele ainda foi convidado para palestrar no primeiro evento nacional sobre o uso de insetos para alimentação animal e humana, o Insetec em Montes Claros (MG), de 6 a 8 de novembro de 2019. Paralelo ao Insetec ocorre o I Congresso Brasileiro de Insetos Alimentícios e Tecnologias Associadas e o II Simpósio Brasileiro de Antropoentomofagia.

A política de afastamento proporciona aos servidores trabalharem com uma ciência inovadora e ainda ter o trabalho reconhecido mundialmente. “Sou professor da área de Alimentos e sempre atuei no Curso Técnico Integrado em Alimentos. Sem dúvida, irei aplicar o conhecimento obtido na minha capacitação em diversas disciplinas do curso. Por exemplo: fiz estágio de docência na disciplina de Análise Sensorial, que consta na grade curricular do curso; venho desenvolvendo meu projeto de pesquisa nas áreas de estudos de consumidor, química de alimentos e análise de alimentos em um produto inovador, conhecimentos que podem ser aplicados nas disciplinas de Gestão Organizacional e Empreendedorismo, Química de Alimentos, Análise Físico-Química de Alimentos, e Inovação Tecnológica em Alimentos”, explica.

Ele complementa dizendo que já vem conversando com alguns servidores do IFRO que desenvolvem projetos em temas correlatos ao dele. “No Campus Ariquemes temos os cursos superiores de Engenharia Agronômica e Biologia, e também os cursos técnicos de Alimentos e Agropecuário, que permitem explorar o assunto da minha pesquisa de doutorado (Insetos Comestíveis) em suas diversas abordagens como, por exemplo, a criação, ecologia e obtenção de produtos alimentícios a partir de insetos”.

Contemplado em edital de afastamento do IFRO, Antonio desenvolve seu doutorado no Programa de Pós-graduação em Ciência de Alimentos (CAPES 7) na Unicamp, e seu projeto de pesquisa visa estudar o uso de insetos na alimentação humana.  “Insetos são fontes de proteína animal de alta qualidade e a sua criação é considerada muito mais sustentável do que a de animais de corte tradicionais, como boi e porco. Então, pensando no desafio de alimentar 10 bilhões de pessoas em 2050 e reduzir o impacto ambiental da nossa produção de alimentos, apresentei esta proposta de pesquisa para o Programa de Pós-Graduação”, explicou Antonio.

Na primeira etapa do projeto de pesquisa foi feito o estudo da percepção do brasileiro sobre insetos comestíveis. Graças a equipe formada, 10 pesquisadores de seis instituições diferentes, foi possível entrevistar 780 pessoas de todas as regiões do país. Antonio analisa que com “os resultados desta etapa da pesquisa, conseguimos entender as associações que o brasileiro faz com relação ao uso de insetos na alimentação. Como em outros países ocidentais, a maioria das pessoas tem associações negativas, como nojo ou rejeição. Porém, alguns grupos de pessoas têm associações positivas, especialmente com os conceitos de sustentabilidade, proteína, cultura e exótico. Desta maneira, aplicando estas associações positivas na divulgação de alimentos contendo insetos é possível alcançar estes potenciais consumidores”.

Na sequência do projeto de pesquisa será desenvolvida uma farinha de inseto que poderá ser utilizada na produção de alimentos como pão, macarrão, biscoitos, além de ser usada como suplemento para enriquecer o nível de proteína na alimentação. 

 

Colorado

Graduado pelo próprio Campus Colorado do Oeste em Tecnologia em Laticínios (2008-2010), Edmar Alves ingressou no IFRO como Técnico em Alimentos e Laticínios em junho de 2011. Aprovado no edital de afastamento número 9 de 2015, cursou o Mestrado em Engenharia e Ciência dos Alimentos, pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (2015-2017). A pesquisa foi sobre os impactos ambientais do leite de búfalo e produtos lácteos, em que estudou os pontos mais críticos da produção, entre eles o desperdício de recursos como água, energia e matéria-prima.

Em sua atuação enquanto Técnico Administrativo em Educação no IFRO, ele ressalta as contribuições em eventos científicos da própria instituição. Em 2017, no Edital 6/2017/DEPESP, foi aprovado o projeto de pesquisa sobre “Avaliação de oportunidades de melhorias ambientais para a produção de carne de frango”, com dois estudantes bolsistas, do ensino médio e do superior. E, em 2018, pelo Edital 15/2018/REIT/PROPESP, foi aprovada a pesquisa “Avaliação de pontos críticos ambientais e propostas de melhorias para o sistema de produção de ovos utilizando o inventário do ciclo de vida”.

Com isso, em 2019, o resultado científico de ambos os projetos teve publicação em formato de pôster intitulado: “Avaliação de pontos críticos ambientais da carne de frango produzida na região Norte do Brasil/Assessment of environmental hot-spots of chicken meat in the northern region”, na Conferência Internacional do Ciclo de Vida CILCA), realizada na cidade de Cartago, na Costa Rica.

Edmar demonstra o êxito do Programa Institucional de Capacitação de Servidores. “A publicação dos trabalhos enfatiza que o IFRO possui também pessoal técnico administrativo capacitado para dar suporte às atividades de ensino, pesquisa e extensão”. Ele complementa: “mesmo diante da defasagem de pessoal na instituição, o IFRO tem oportunizado afastamento (integral ou parcial) aos servidores, cumprindo um dos principais objetivos da instituição: promover o ensino com qualidade”.

  • Apresentacao_Oral
  • Apresentacao_Poster
  • Edmar_em_apresentação_na_Costa_Rica_1
  • Edmar_em_apresentação_na_Costa_Rica_2
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página
-->