Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

IFRO tem projeto de inclusão apresentado em Portugal

Publicado: Sexta, 14 de Julho de 2017, 12h23 | Última atualização em Sexta, 14 de Julho de 2017, 12h38 | Acessos: 672

Congresso realizado em Portugal 3

Nos dias 6, 7 e 8 de julho, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) apresentou um de seus projetos de extensão no V Congresso Internacional de Educação e Inclusão, em Lisboa. A proposta foi resultado de atividade realizada no município de Porto Velho, que trabalhou a autoestima dos deficientes visuais e promoveu a interação com pessoas de visão normal. O evento foi realizado na Escola Superior de Educação e na Escola de Comunicação Social, do Instituto Politécnico de Lisboa/Campus Benfica.

A professora Ana Cláudia Ribeiro apresentou o projeto “Fotografia e cegueira: um experimento sobre as fronteiras da Comunicação Visual", desenvolvido no Campus Porto Velho Zona Norte no final do ano de 2016. Com turma de aproximadamente 20 pessoas, sob a orientação do fotografo Walteir Costa, foi produzida exposição de fotografias de autoria dos deficientes visuais com o auxílio dos demais participantes. Como próxima atividade, ocorrerá exposição virtual das fotografias do projeto. De acordo com a coordenadora, as pessoas visuais exerceram o papel de intérpretes de imagem, cuja função foi a de transmitir informações técnicas relacionadas às condições ambientais aos fotógrafos com limitações visuais.

Organizado pela Associação Nacional de Docentes de Educação Especial "PIN ANDEE de Portugal", o congresso contou com representantes de diversos países, do Ministro da Educação e do Presidente da República de Portugal. “Um grande número de brasileiros participou do evento. Foram três dias de intensa programação com conferências, mesas-redondas, apresentações e grupos focais que possibilitaram a troca de conhecimentos e experiências acerca do tema proposto. Sou grata pela oportunidade de representar o instituto no congresso. A inclusão foi abordada no âmbito geral, não apenas das pessoas com necessidades especiais, mas a inclusão social mais abrangente de pobres, imigrantes e refugiados”, comentou Ana Cláudia. 

 

Fim do conteúdo da página