Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Colóquio "Direitos das Mulheres: panorama da situação" é realizado no Calama

Publicado: Quinta, 16 de Março de 2017, 08h48 | Última atualização em Quinta, 16 de Março de 2017, 11h29 | Acessos: 271

DSC 0062

Entre as atividades alusivas ao Dia das Mulheres, o IFRO Campus Porto Velho Calama recebeu no dia 8 de março o Colóquio "Direitos das Mulheres: panorama da situação". O evento foi realizado pelo Grupo de Pesquisa NEHLI (Núcleo de Estudos Históricos e Literários do IFRO) juntamente com o MFP (Movimento Feminino Popular) e OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Entre os temas apresentados no auditório do campus estavam a Lei Maria da Penha e sua aplicabilidade na vida dos jovens e adultos na sociedade rondoniense, o histórico da data comemorativa e seus primórdios. E ainda o debate de como a mulher passou a ser propriedade do homem, a importância da luta por direitos iguais e os desafios das mulheres que vivem na zona rural.

"A violência de gênero, assim como a violência de classe, econômica, são históricas e conjunturais. Para serem superadas precisam da união de todos esses segmentos sociais que se sentem ameaçados em seus direitos", afirma a representante do MPF, Marilsa Miranda. No evento estavam presentes alunos dos cursos integrados ao ensino médio e servidores, eles ainda fizeram relatos de experiências. Segundo a professora Xênia de Castro Barbosa, ações como esta são necessárias “para que a nova geração não cometa os mesmos erros das gerações passadas e as mulheres deixem de ser vistas como donas de casa e do lar”. A professora do Campus Calama ainda frisa que mulheres trabalham são maioria atualmente. Essa maior presença feminina é notada inclusive nos cursos técnicos do IFRO. E um exemplo desse empenho em buscar formação é que as três debatedoras do Colóquio já concluíram o doutorado.

Ao debater sobre a legislação atual, voltada a criar mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, a advogada Andréa Almeida explicou que "a Lei Maria da Penha é um instrumento importante de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica. É necessário, contudo, fazer com que ela se torne cada vez mais conhecida pela sociedade, para que os direitos que ela salvaguarda sejam efetivados".

Na semana da mulher de 2016, o NEHLI esteve representado no Encontro Estadual de Mulheres Rurais de Rondônia. O Grupo teve também uma experiência de pesquisa no tema: "gênero e desenvolvimento rural sustentável: uma proposta de pesquisa e extensão para o território rural de identidade Rio Machado, com ênfase na TI Roosevelt", projeto financiado pelo CNPq/MDA/SPM. "Tenho esperanças de um convívio mais saudável e ético entre homens e mulheres quando vejo estudantes e professores empenhados em um diálogo sensível e respeitoso sobre as diferenças que nos constituem e as expectativas que nos unem", finaliza Xênia Barbosa.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página