Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Alunos de Edificações elaboram canteiro de obras em Porto Velho

Publicado: Sexta, 11 de Agosto de 2017, 17h27 | Última atualização em Segunda, 14 de Agosto de 2017, 16h35 | Acessos: 805

Escolha da banca 1

Alunos do Curso Técnico Integrado em Edificações do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Porto Velho Calama, participaram de eleição para Canteiro de Obras Modelo. O projeto é composto por três etapas e faz parte da disciplina Gerenciamento do Canteiro de Obras do terceiro ano matutino do Curso Técnico em Edificações.

No dia 8 ocorreu a escolha, que segundo os organizadores busca oportunizar aos alunos do Técnico em Edificações construir e vivenciar a execução e utilização de um canteiro de obras. O projeto será utilizado em futuras simulações de trabalho, cujos resultados serão registrados e analisados para que assim seja feita uma comparação entre o uso de um canteiro de obras planejado e um não planejado. “Poder ver os alunos produzindo, criando e executando me traz muita felicidade e orgulho. Eles sentem que são capazes, se tornam aptos a exercer com excelência sua futura profissão além de evoluírem como pessoas e como equipe. Esse é apenas o primeiro passo, espero que vocês ainda possam ouvir falar muito mais sobre esse projeto”, afirma a Engenheira Mariana Dias de Andrade, que coordena projeto.

Na primeira etapa do projeto estava a elaboração do layout planejado de um canteiro de obras, sendo trabalhados os elementos do canteiro, as normas regulamentadoras e os critérios de economicidade e sustentabilidade. E, por fim, apresentado o projeto executivo de layout de canteiro de obras. Entre as variáveis previamente estipuladas estavam área total do terreno, área de projeção da obra a ser construída, operários trabalhando, período da obra e outros.

A segunda etapa se iniciou após a escolha do melhor projeto pela banca examinadora, tendo em vista que o projeto vencedor será utilizado como base para execução do Canteiro de Obras Modelo. Discentes colaboradores participarão da execução do projeto, em equipes, sob a supervisão do professor orientador e com o auxílio do discente monitor. Cada equipe se responsabilizará pela execução de um elemento do canteiro, ficando responsáveis pela definição do material a ser utilizado, levantamento de quantitativos necessários e realização de orçamentos para aquisição do material que será utilizado.

Já na a terceira etapa inicia a partir da finalização do “Canteiro de Obras Modelo” e consistirá na simulação de situações de trabalho considerando dois cenários, o primeiro deles onde a realização das atividades se dará no layout existente (previamente planejado e funcional), e o segundo considerando as mesmas sendo realizadas com os elementos do canteiro dispostos em um layout não produtivo, nesse caso o posicionamento inadequado das áreas de produção e vivência do canteiro será indicado por placas apenas com intuito de viabilizar as simulações. Todos os resultados serão registrados para posterior comparação e verificação dos impactos causados por um layout de canteiro de obras planejado.

Conforme o Coordenador do Curso Técnico Integrado em Edificações, Celso José Roberto Soares Júnior “a participação do aluno em um projeto bem elaborado como esse traz benefícios enormes para o discente, visto que há uma grande aproximação da realidade praticada na vida de um técnico em edificações. Paulo Freire relata em uma das suas obras que o aluno deve interagir com o objeto de conhecimento para torná-lo significativo e desta maneira potencializar o conhecimento produzido e esse projeto, dada a abordagem experimental dos alunos, satisfaz de forma absoluta esse conceito. A elaboração de um ótimo layout de canteiro de obras promove operações eficientes e seguras, que garante ao gerenciador, no caso o nosso técnico em edificações, uma grande reputação, pois o canteiro de obras é o cartão de visita de uma empresa. A lapidação desse conhecimento neste momento, através de projetos, é fundamental para colher bons frutos na hora em que nossos alunos estiverem em atuação no mercado, demonstrando assim um potencial diferenciado”.

Votação
A melhor nota da banca foi para a equipe “JAMAL”. “Para nós, da JAMAL, foi bastante enriquecedor apresentar o nosso layout de canteiro de obras para uma banca, pois assim pudemos rever todo nosso esforço e tempo empenhado na produção desse projeto. Além disso, a chance de ter nosso trabalho julgado por profissionais da área nos proporcionou um conhecimento maior do que estávamos fazendo e do que poderíamos melhorar. Já a experiência que obtivemos ao elaborar a planta baixa do canteiro foi bastante importante porque adquirimos conhecimento sobre as normas e como fazer um planejamento de canteiro corretamente, de forma que seja organizado e dinâmico”, explicam os alunos Alice de Matos Ferreira, Amanda Monteiro Campos, Jasmin Nicole Zavala Silva, Larissa Monteiro Cruz e Maira Uiatane Barbosa Gorayeb.

Em segundo lugar ficou o pessoal da “Tower Engenharia”, que é composta por Emílio Gabriel Freire dos Santos, Gabriella Rosendo da Rocha, Leandro de Souza Carvalho, Nathalia Cazella Claudino e Rafael Alves de Oliveira. Eles afirmam que “o projeto proporcionou o conhecimento acerca do funcionamento de uma das partes iniciais de uma construção, tornando possível a aplicação de normas referentes ao canteiro de obras e a importância do planejamento do mesmo. Além disso, a metodologia utilizada ajudou no aprofundamento sobre o assunto, mostrando as diversas possibilidades que um planejamento pode assumir. E a oportunidade de apresentar nosso projeto para uma banca, permitiu que ampliássemos nossos horizontes, fazendo com que pudéssemos perceber alguns erros e que algo sempre pode ser melhorado”.

Na terceira colocação ficou “Edificor”. Segundo seus componentes, a experiência de elaborar um modelo de layout do canteiro de obras foi “uma experiência fundamental para a nossa formação, partindo da ideia de que dessa forma realmente aprendemos e vemos como as coisas funcionam. O método utilizado pela professora Mariana de Andrade, conhecido como ‘Learning by doing’, proporciona isso, realmente aprendemos fazendo. Além disso, ainda temos a apresentação voltada para uma banca, nos preparando assim para trabalhos que possam ocorrer no ensino superior, ou em qualquer fase de nossas vidas, e testando dessa forma a nossa capacidade de se expressar e falar em público. Elaborar o canteiro não foi tarefa fácil, houve muitos erros e alguns acertos, e desse modo absorvemos conhecimento, já que estamos livres para pesquisar e nos inserir diretamente nesse meio, que nos prepara e nos oferece autonomia de aprender, já que a produção parte de nós mesmos. Por fim queria agradecer à professora Mariana de Andrade a oportunidade que tivemos de expor nosso trabalho, e também à banca avaliadora que esteve conosco assistindo e julgando os modelos expostos. Independentemente de resultados, iniciamos esse Projeto de Pesquisa e Ensino muito bem, e todos os grupos que neste apresentaram estão de parabéns”. Fazem parte da equipe: Aimê Maria Sebold Calixto, Anna Leticia Soares Gonçalves, Arnor Lucas Araújo de Souza e Thales Felipe da Silva Costa.

E no quarto lugar ficou a “Xampson Team”, composta por Clégio Felipe Souza Duarte, Erick Augustus Guimarães Leal, Luis Felipe Oliveira Lanzarin e Willen Carvalho Duarte. “Aprender desta forma é muito gratificante, pois nos trouxe teoria e prática juntas, já que nos mesmos temos que criar o canteiro e ao mesmo tempo aprendemos cada parte disso”. Os alunos ainda enfatizam que puderam tirar dúvidas e desenvolver seus conhecimentos. “Nossa empresa só tem a agradecer pelo ótimo aprendizado que estamos tendo com tudo isso”, concluíram os estudantes.

Fim do conteúdo da página