Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Valorização da Vida é tema de roda de conversa em Vilhena

Publicado: Quinta, 04 de Outubro de 2018, 10h06 | Última atualização em Quinta, 04 de Outubro de 2018, 10h06 | Acessos: 324

Imagens da roda de conversa em Vilhena 2

No dia 13 de setembro, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Vilhena, recebeu profissionais de saúde do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) e da Residência Multiprofissionais para uma roda de conversa com alunos e servidores sobre a valorização da vida.

A atividade é parte do planejamento do CAPS, que visitou também outras escolas no município para tratar sobre prevenção ao suicídio sob a perspectiva do acolhimento. Participaram da roda de conversa psicólogos e psiquiatras, que puderam explicar o assunto à comunidade acadêmica, elucidando dúvidas e disseminando informações.

Os profissionais falaram sobre a importância de compreender que vários fatores contribuem para uma pessoa chegar a este estado emocional e que, sobretudo, é necessário desprender-se de quaisquer formas de julgamento, pois é preciso considerar as particularidades de cada pessoa.

Os participantes puderam também conhecer sobre a forma com que as mudanças sociais interferem no comportamento humano e sobre os sintomas da depressão, que, segundo os profissionais, embora cada pessoa tenha uma forma própria de reagir, normalmente observa-se uma mudança no comportamento padrão da pessoa, que tende a desenvolver mecanismos para ocultar sua dor.

O coordenador do CAPS, Jessé Moreira Ramos, complementou que embora seja a mais frequente, a depressão não é a única responsável pelos casos de suicídio, já que outras patologias e fatores genéticos, físicos e sociais também interferem no comportamento humano.

A atividade envolveu a todos, foram muitas perguntas e participações, atingindo com sucesso o objetivo proposto. Ezequiel Ferreira Barbosa é docente no campus e disse que “a atividade é importante porque ajuda a disseminar informações e a esclarecer dúvidas sobre este assunto que ainda é um tabu na nossa sociedade”.

Fim do conteúdo da página