Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

IFRO participa de audiência pública na ALE-RO na próxima segunda

Publicado: Quinta, 07 de Novembro de 2019, 10h28 | Última atualização em Quinta, 07 de Novembro de 2019, 10h28 | Acessos: 275

O IFRO (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia) participa da Audiência Pública sobre Pesquisa Científica: Impacto social, político e econômico do Estado de Rondônia, no auditório da Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia, às 15 horas da segunda-feira, dia 11/11. A reunião pública foi proposta pelo Deputado Estadual Ismael Crispin, conforme solicitação de pesquisadores da UNIR (Universidade Federal de Rondônia) e Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), mais IFRO e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa-RO).

Segundo o Pró-Reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (PROPESP/IFRO), Gilmar Alves Lima Júnior, a demanda de audiência ocorreu a partir dos cortes de bolsas para a pós-graduação. “Foi colocado inicialmente a discussão sobre as ações que são executadas pelas quatro instituições em ensino, extensão tecnológica, mas, principalmente, pesquisa e inovação”, explica.

Entre os pontos apresentados para a realização de uma audiência pública estava a divulgação dos projetos, as entregas e a importância do investimento financeiro, principalmente por agências de fomento. “Coloca-se na Assembleia Legislativa a pauta de fomento da FAPERO, considerando o orçamento e a legislação vigente. Também coloca-se em pauta, a necessidade de discussão e aprovação da Lei de Inovação do Estado de Rondônia, a partir de uma minuta elaborada pelo Conselho Curador da FAPERO. Com a valorização e investimento em ciência, podemos em cada instituição e em parceria desenvolver projetos, resolvendo as demandas dos setores públicos e privados, em diversos arranjos produtivos locais”, ressalta Gilmar.

No IFRO, o investimento é direto em 385 projetos de pesquisa, envolvendo 500 servidores pesquisadores e 400 estudantes nas mais diversas áreas do conhecimento. “O investimento em ciência, com fomento a infraestrutura, bolsas e programas de pós-graduação, proporciona a fixação de mão de obra qualificada no estado de RO e mão de obra qualificada é a base para o crescimento”, conclui o Pró-Reitor.

Fim do conteúdo da página
-->