Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Premiação dos trabalhos marca encerramento do Connepi 2018

Publicado: Terça, 04 de Dezembro de 2018, 15h12 | Última atualização em Terça, 04 de Dezembro de 2018, 15h22 | Acessos: 198
Na solenidade também foi a anunciado que o próximo Connepi será realizado em Porto Velho (RO)
 
 O anúncio dos trabalhos premiados e a divulgação da próxima sede do Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação (Connepi) marcaram a cerimônia de encerramento, nesta sexta-feira (30), no Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife. O público que lotou o auditório Tabocas para conferir a última etapa da programação pode assistir a uma vídeo com os melhores momentos da 12ª edição do evento e conhecer um pouco sobre a cidade de Porto Velho e o Instituto Federal de Rondônia (IFRO), que irão receber o próximo Connepi.
 
O Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do IFPE, Mário Monteiro, coordenador da comissão organizadora do Connepi, fez um balanço dos principais destaques do evento. Foram 4.400 credenciamentos realizados, mais de 2 mil trabalhos apresentados, 11 minicursos, quatro mesas redondas e 250 avaliadores mobilizados. "O Connepi se consolida como o maior evento de Pesquisa e Inovação da Rede Federal. Além de toda a programação científica, tivemos como destaque neste ano a reinserção do Connepi Cultural, que materializa a integração entre a pesquisa e a extensão que a gente tanto defende", afirmou. 
 
Na solenidade, a grande expectativa era pelo anúncio dos trabalhos mais bem avaliados e também dos vencedores da Mostra Tecnológica e do Desafio de Ideias. Nas apresentações orais, foram premiados as produções do CETEN (grande-área de Ciências Agrárias) e os Institutos Federais da Bahia (Ciências Biológicas), do Maranhão (Ciências da Saúde; Ciências Humanas e Linguística, Letras e Artes), do Rio Grande do Norte (Ciências Exatas e da Terra; Engenharias), de Sergipe (Ciências Sociais Aplicadas) e do Tocantins (Multidisciplinar). Já os Institutos Federais de Alagoas (grande-área de Ciências Agrárias), do Ceará (grande-área de Ciências Biológicas), de Pernambuco (grandes-áreas de Ciências da Saúde; Ciências Exatas e da Terra; Ciências Humanas e Multidisciplinar), de Sergipe (grande-área de Ciências Sociais Aplicadas), do Maranhão (grande área de Engenharias) e de Rondônia (Linguística, Letras e Artes) foram premiados na mostra de pôsteres.
 
Dentro da programação do Universo IF, a Mostra Tecnológica apresentou o que há de mais avançado em protótipos, processos e produtos inovadores desenvolvidos nos Institutos Federais. O IFPE  venceu a competição, com o projeto "Desenvolvimento de módulos de estações para aplicação ao sistema telemétrico Railbee", coordenado pelo professor Rômulo Araújo, bicampeão da Mostra. O projeto busca aprimorar o sistema de monitoramento de metrôs da malha ferroviária da Região Metropolitana do Recife. Já os Institutos da Paraíba e do Amapá ficaram com o segundo e terceiro lugar, respectivamente.
 
O Desafio de Ideias, que busca promover a cultura do empreendedorismo entre os participantes, teve como vencedor a equipe do Instituto Federal do Amapá. Formada por exclusivamente por mulheres, o grupo apresentou o projeto Aruana, que propõe a confecção de biojoias a partir de resina oriunda dos ossos de peixes recolhidos nas feiras. Já o segundo lugar ficou com o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e o terceiro com o Instituto Federal do Maranhão (IFMA). 
 
A reitora do IFPE, Anália Ribeiro, afirmou que o Connepi é a prova de que o projeto dos Institutos Federais deu certo ao estimular o envolvimento do estudante com pesquisa e inovação desde o Ensino Médio. "Esse é o nosso grande diferencial e boa parte dos trabalhos do Connepi vem desses estudantes. Por isso, gostaria de fazer um apelo: quando vocês forem fazer uma escolha na carreira e na vida de vocês, lembrem-se sempre que vocês são filhos da escola pública. Façam sempre a opção de fazer uma ciência que beneficie a sociedade e, especialmente, as pessoa mais vulneráveis. Pensem sempre no porquê, para quê e para quem estamos fazendo ciência e construindo nossa carreira", destacou. 
 
Para a reitora do IF Sertão - Pernambucano, o sentimento é de dever cumprido.  “A impressão que fica para todos nós que participamos desse processo é que conseguimos atingir o objetivo, exitoso, maravilhoso. É incrível perceber o quanto os nossos jovens e adultos estiveram envolvidos e o potencial que nós temos", comentou. 
 
POVOS INDÍGENAS 
 
A solenidade foi encerrada com a apresentação do Toré feita pelos membros da comunidade indígena Xukuru de Orurubá, localizada no município de Pesqueira, em Pernambuco. Antes, porém, a estudante indígena do IFPE, Marcela Moura, leu um manifesto em defesa dos direitos dos povos indígenas. "Há 518 anos a nossa existência é ameaçada e hoje mais que nunca essa ameaça é declarada publicamente. Para nós a terra não é mercadoria é nossa mãe, a qual nos dá o alimento do corpo e da alma, e mãe a gente não vende não troca, não agride. Precisamos de nossas terras, pois para nós é um elemento sagrado onde estão plantados nossos ancestrais, de onde vem a nossa força encantada", declarou, sob aplausos do público. 
 
=> Veja a Galeria de Fotos e Vídeos do evento
=> Confira a cobertura completa no site oficial do Connepi 2018
 
Fonte: Assessoria de Comunicação do Connepi 2018
Fim do conteúdo da página