Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Estudantes participam do III Encontro de Lideranças Estudantis do IFRO

Publicado: Quinta, 01 de Novembro de 2018, 19h04 | Última atualização em Quinta, 01 de Novembro de 2018, 19h16 | Acessos: 163

IFRO E Líderes 2018 38

O IFRO (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia) realizou entre os dias 30 e 31 de outubro o III Encontro de Lideranças Estudantis do IFRO (E-Líderes). Sediado pelo Campus Porto Velho Zona Norte, o evento objetiva proporcionar aos estudantes espaço para discutir sobre os direitos e deveres dos estudantes do Instituto, bem como a gestão do grêmio estudantil e diretório/centro acadêmico na perspectiva da cooperação para a melhoria da qualidade do ensino, com ênfase na permanência e no êxito dos estudantes.

Na mesa de abertura participaram o Reitor Uberlando Tiburtino Leite, juntamente com o Pró-Reitor de Ensino, Moisés José Rosa Souza, a Diretora de Assuntos Estudantis, Maria Rosimére Salviano Moura, e o representante do Grêmio Estudantil do Campus Porto Velho Calama Marcelo Resende da Silva.  Em seguida, foi ministrada a palestra “A educação como um direito e a importância dos líderes estudantis como agentes de controle social”, com o Procurador de Justiça do Ministério Público de Rondônia, Rodney Pereira de Paula.

“Este encontro visou o fortalecimento da gestão democrática da instituição, do protagonismo estudantil quanto aos aspectos de liderança, mobilização e participação dos estudantes nos diversos setores da instituição. É muito importante que a instituição reconheça e firme práticas que evidenciem a representatividade estudantil, que esses não sejam vistos como meros espectadores, mas como agentes ativos na construção de nossas práticas. E os estudantes fizeram jus a este espaço. A participação foi ativa durante todo o evento, com discussões e apresentações de propostas relevantes para a instituição. Estamos extremamente satisfeitos com o resultado”, afirma a Psicóloga Maria Rosimére Salviano de Moura, que estava na organização do evento junto à Pró-Reitoria de Ensino (PROEN/IFRO).

Conforme o Planejamento Estratégico (PDI/IFRO 2018-2022), uma das diretrizes relacionadas ao fazer da instituição é estimular a organização da comunidade escolar (estudantes, pais e servidores) para que todos participem ativamente da instituição. Havendo nos campi um espaço para convivência e organização estudantil, que deverão ser delineadas nas seguintes formas: Grêmio Estudantil, representando os alunos do ensino técnico de nível médio; e os Centros Acadêmicos, representando os alunos dos cursos de graduação. As participações dessas entidades estudantis nos fóruns de decisões institucionais são determinadas e orientadas pelo Regimento Geral e Regimentos Internos de cada campus. No Estatuto está assegurada a representação discente no Conselho Superior, e no Regimento Geral encontra-se definida a participação nos demais órgãos colegiados.

O estudante do Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática do Campus Guajará-Mirim, Cássio Barboza, diz estar gostando muito de interagir com alunos de outros campi. “Trocar experiências é uma parte muito bacana, as palestras estão sendo muito produtivas. Receber novas experiências, saber o que os alunos vivenciam em outros campi para eu ter uma noção para levar para minha turma e para o meu campus, sobre administrar melhor toda essa informação”, ressalta ele. Segundo Dilma Bazán Ortiz, do Curso Técnico em Vigilância em Saúde Subsequente ao Ensino Médio, afirma ter obtido muito conhecimento. “Agora no IFRO é a terceira vez que sou líder, e para mim está sendo uma experiência ótima. O que aprendi aqui quero colocar em prática no IFRO de Guajará-Mirim, com meus colegas, compartilhar o que aprendi”.

Nathalee Silva do Valle também participa pela primeira vez do evento. Ela cursa o Técnico em Biotecnologia Integrado ao Ensino Médio no Campus Guajará-Mirim e nos últimos anos dois anos foi vice-líder de turma e este ano passou a ser a representante oficial de sala e também compõe o Grêmio Estudantil. “Era o meu sonho desde que entrei no Instituto Federal vir para o E-Líderes, é um sonho realizado, está suprindo todas as expectativas. Pelos participantes, por conhecer novas pessoas, as palestras estão maravilhosas, as dinâmicas, tudo foi preparado com muito carinho”.

A estudante do segundo ano do Curso Técnico em Edificações, Joanne Marques da Costa, é secretária do Grêmio Estudantil do Campus Vilhena. “No Encontro de Lideranças eu aprendi várias coisas, eu vi que todos os líderes de todas as instituições querem fazer muita coisa, têm muita força de vontade, e se trabalharmos em conjunto, dará para fazer algo muito legal. Todo mundo só quer o bem dos alunos e do campus. Estar aqui, saber escutar experiências, escutar o ponto de vista de várias realidades, coisas que acontecem no meu campus não acontecem no Calama ou Jaru, nem o que acontece no meu está acontecendo nos outros campi. Então, é compartilhar experiências, e se há algo bom que acontece no campus deles, vamos trazer para o Campus Vilhena, ou o que não está legal, vamos evitar que aconteça no meu campus”.

Para o Assistente de Alunos do Campus Porto Velho Calama, Luiz de Melo Pinheiro, “o campus e os Institutos Federais só existem por causa dos alunos, eles são nossa principal função. E a nossa visão enquanto instituição, por mais que tentemos pensar como aluno, não conseguimos, não sabemos o que querem de fato. E a forma que temos para descobrir isso é dando espaços de fala para eles, muitas vezes precisam da nossa ajuda para se organizarem. Precisamos unir os alunos, mas depois trazer as demandas para nos apresentar, e o nosso serviço só melhora para eles. Lógico que tem coisas que querem que filtramos, porque vemos que não é possível no momento ou será inviável, mas é momento deles descobrirem o que querem e nos passem”.

O estudante Nathã Victor de Oliveira veio do Campus Ariquemes representando os primeiros anos do Curso Técnico em Alimentos. Ele acredita que o encontra contribuirá para compreender “como construir uma boa liderança, de respeito mútuo, de comunicação de algo e participação como um representante, não só como uma pessoa que tem que guiar, mas como uma pessoa que ouve e sabe se posicionar para ajudar a todos da turma”.

Fim do conteúdo da página