Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Campus Ji-Paraná recebe I Colóquio de Humanidades e Artes do IFRO

Publicado: Sexta, 10 de Novembro de 2017, 18h48 | Última atualização em Sexta, 10 de Novembro de 2017, 18h48 | Acessos: 289

I Colóquio de Humanidades e Artes do IFRO

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia realiza nos dias 13 e 14 de novembro a 1ª edição do Colóquio de Humanidades e Artes.  Com o tema “O papel das Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas nas dimensões de ensino, pesquisa e extensão da Educação Profissional do IFRO” o evento vai reunir no Campus Ji-Paraná aproximadamente 80 docentes da instituição.

Segundo o Pró-Reitor de Ensino, Moisés José Rosa Souza, o objetivo geral do evento é promover o debate acerca da relevância das Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas na educação ofertada pelo IFRO, ampliando conexões para o estabelecimento de práticas pedagógicas integradoras e funcionais, sob a perspectiva de formação humanística, ética e estética no contexto da educação profissional, com vistas a contribuir para um ensino que promova a inserção social, a formação integradora e a produção de conhecimentos e produtos que atendam a sociedade.

Docentes do IFRO ligados às áreas de Sociologia, Filosofia, Língua Portuguesa, Línguas Estrangeiras, Geografia, História, Direito, Administração, Economia, Contabilidade, Artes, Música, Educação Física e Pedagogia vão participar de palestras, mesa-redonda, discussões em grupos, debate e socialização das discussões. “É inegável a imprescindibilidade da contribuição dessas Ciências para os profissionais em formação nos cursos do IFRO. Discuti-las, portanto, é condição indispensável para que o IFRO atinja seus objetivos institucionais e sociais”, reforçou Souza.

Enfim, o evento visa, por meio de discussões várias, contribuir com o fortalecimento da identidade docente na instituição. “Não tenho dúvidas que, a partir das discussões que ocorrerão, os docentes iniciarão o ano letivo de 2018 com novas perspectivas de atuação. Quem ganha com isso é o nosso aluno”, concluiu o pró-reitor. 

Fim do conteúdo da página