Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Empoderamento da Mulher certifica mais de 120 participantes

Publicado: Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 19h37 | Última atualização em Terça, 05 de Dezembro de 2017, 13h22 | Acessos: 387

Empoderamento da Mulher

A noite de sexta-feira (1º de dezembro) foi de muita animação e emoção para as mais de 120 concluintes dos cursos de formação inicial e continuada (FIC) ofertados pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), através do Projeto Empoderamento da Mulher.  A cerimônia de certificação ocorreu no auditório do Campus Porto Velho Calama com estudantes dos cursos de Produção de Salgados, Cuidador Infantil e Cuidador de Idosos, ministrados nos municípios de Candeias do Jamari, Itapuã do Oeste e na capital.

O projeto, que foi desenvolvido pela Pró-Reitoria de Extensão, em parceria com a Secretaria Especial de Políticas para Mulheres (SPM), contemplou 500 mulheres em vulnerabilidade social dos territórios, da cidadania e da identidade rural do estado de Rondônia. “Esse projeto tem o mesmo perfil do Programa Mulheres Mil, que é um caso de sucesso da rede federal, e ficamos extremamente contentes de o IFRO estar exercendo o seu papel de capacitar pessoas para atuar tanto como ocupantes de vagas no mercado de trabalho como também criando o seu próprio negócio”, destacou o Reitor Uberlando Tiburtino Leite.

Roseli Pereira dos Santos participou do curso FIC de Cuidador de Idosos em Porto Velho. A profissional já estava há quatro anos fora do mercado de trabalho e a partir da qualificação recebida conseguiu um emprego.  “Terminei o curso no mês passado e já estou trabalhando de carteira assinada. O curso foi uma porta que se abriu para a gente, passou a ser uma profissão e a formação que recebi do IFRO foi fundamental para exercer minha atual função. Não faltei nenhum dia do curso e se ele durasse um ano faria do mesmo jeito, gostei do começo ao fim, e quero fazer outros cursos que tiver”, falou.

De acordo com a Pró-Reitora de Extensão, Maria Goreth Araújo Reis, entre os objetivos do projeto estava o de desenvolver a autonomia financeira e a emancipação das mulheres participantes. “Acredito que todas estão satisfeitas com os resultados obtidos. O índice de aproveitamento dos cursos foi excelente e creio que vai fazer uma grande diferença na vida delas. A nossa intenção é não parar por aqui, é de ampliar o projeto, de ampliar o número de mulheres atendidas, e que venha 2018 para que possamos continuar este projeto que é muito relevante para a instituição e para o estado de Rondônia”, disse. 

Uma das alunas dos cursos FIC ofertados pelo Projeto Empoderamento da Mulher que começou a empreender foi Rita de Cássia Jesus dos Santos, residente em Candeias do Jamari. Ela, que já trabalhava na área de alimentação, a partir do curso de “Produção de Salgados” adquiriu novos conhecimentos e abriu o próprio negócio. “Sou cozinheira há dez anos, só que nunca havia pensado em abrir um negócio, mas depois que comecei a fazer o curso, pedi as contas do meu antigo emprego, comprei um carro e comecei a fazer salgados por encomenda. Foi através do curso ofertado pelo IFRO que tive coragem de investir em um negócio próprio, peguei confiança, comecei a fazer as massas e continuei. Todos os dias estou cheia de pedidos de salgados para festa e tudo o que aprendi estou colocando em prática”, contou entusiasmada.

O desenvolvimento de características empreendedoras foi outro ponto importante destacado nos cursos, como relatou a Coordenadora de Território da Cidadania Madeira Mamoré, Ana Lúcia Sousa Lucas, responsável por articular a participação das alunas de Porto Velho, Itapuã do Oeste e Candeias do Jamari no projeto.  “As participantes formaram a Associação de Mulheres Empreendedoras de Itapuã do Oeste, a partir do curso que foi ofertado. Elas começaram a discutir sobre isso, de trabalhar em grupo, e aí surgiu a ideia da associação dentro da sala de aula e é fantástico ver essa mobilização delas para obter melhores resultados”, comentou.

Outra participante dos cursos ofertados pelo Projeto Empoderamento da Mulher que pretende empreender na área da formação que recebeu é Karen Santos, que cursou o FIC de Cuidador Infantil na capital rondoniense.  “Futuramente quero abrir uma creche e tendo esse reconhecimento a gente tem mais respaldo para montar um negócio na área. Eu gosto muito de cuidar de crianças e ter uma certificação de um curso ofertado pelo IFRO tem um peso muito grande para nós que queremos entrar no mercado de trabalho. O curso me surpreendeu, não imaginava que ele seria tão rico de conteúdo, tivemos aula de nutrição infantil, de cuidados com a saúde da criança, primeiros socorros, recreação, então para mim foi de grande valia ter feito essa capacitação”, ressaltou. 

Xênia de Castro Barbosa, que é professora de História do Campus Porto Velho Calama, lecionou a disciplina “Políticas Públicas de Segurança Alimentar” para as participantes do curso de Produção de Salgados em Candeias do Jamari.  A docente comentou que participar do projeto foi umas das experiências mais gratificantes de sua vida.  “Precisei estudar bastante e aprendi muito, tanto da teoria, quanto da legislação. Busquei também filmes e outras fontes para poder tornar o curso mais compreensivo, mais acessível e posso dizer que estudamos juntas, aprendemos juntas e o que mais me impressionou foi a perseverança delas, a determinação. Houve baixíssima evasão e percebo que estes são cursos que contribuem com o empoderamento, que dão perspectivas profissionais. Muitas já estão formando cooperativas para produzirem e comercializarem seus produtos e estão de fato empoderadas e me sinto honrada de ter participado desse processo”, falou.

O curso de Produção de Salgados também foi ofertado no município de Itapuã do Oeste. Uma das alunas que concluiu a capacitação foi Eliane Cardoso. “Esse projeto foi muito bom pra gente, porque temos muitas mulheres desempregadas e com esse curso várias estão conseguindo se manter a partir dos conhecimentos adquiridos no curso, porque muitas não sabiam nem como modelar uma massa e hoje são profissionais. Eu já tinha um pouco de conhecimento e o curso veio enriquecer ainda mais o meu currículo. Concluímos o curso em 30 mulheres, com muita firmeza e dedicação. Foram quase três meses  de curso e todas se esforçaram para concluir”, relembrou.

Fim do conteúdo da página