Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Programa de Internacionalização tem pesquisa sobre leitura em Portugal

Publicado: Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 07h59 | Última atualização em Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 08h00 | Acessos: 360

PIPEEX Docente

Pela primeira vez o Programa de Internacionalização de Pesquisa, Ensino e Extensão (PIPEEX) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) também selecionou servidor para período de atividades em um país parceiro.  Além de atuar como tutora no acompanhamento de quatro estudantes de cursos técnicos integrados ao ensino médio que ainda não completaram 18 anos, a professora da disciplina de Português do Campus Porto Velho Calama, Márcia Letícia Gomes, realiza pesquisa sobre leitura no Instituto Politécnico do Porto (IPP), em Portugal.

Do IFRO, estão ao todo 13 estudantes em mobilidade internacional, em três diferentes países: Portugal, Colômbia e Argentina. Iniciado em 2015, o PIPEEX busca estreitar os laços entre IFRO, pesquisadores e instituições participantes. Segundo a Assessora de Relações Internacionais do IFRO, Laura Borges Nogueira, está entre os objetivos do Programa “a mobilidade de servidores, o que impulsiona o fator de parceria entre instituições, pois possibilita que pesquisadores das duas instituições estabeleçam contato e possam construir ações em conjunto”.

Dentre as atividades da mobilidade internacional, Márcia Letícia Gomes desenvolve atividades como investigadora visitante na Escola Superior de Saúde (ESS) do Instituto Politécnico do Porto. A representante do IFRO foi recebida na instituição portuguesa pela professora Ana Sucena dos Santos e tem atuado junto ao Centro de Investigação e Intervenção na Leitura (CIIL). Criado em 2015 pela Câmara Municipal do Porto, pelo Instituto Politécnico do Porto e pelo Ministério da Educação e Ciência de Portugal, o CIIL está atrelado ao programa educativo municipal “O Porto a ler”.

“Consiste em um projeto de intervenção dirigido às dificuldades de aprendizagem da leitura num conjunto de escolas no Porto. O projeto assenta a sua lógica de intervenção na relação entre as dificuldades de aprendizagem da leitura nos primeiros anos de escolaridade e as dificuldades no percurso futuro do aluno”, explica a docente do IFRO.

A intervenção baseia-se no desenvolvimento das competências básicas no que se refere à aprendizagem da leitura e atende crianças no último ano do pré-escolar e no primeiro ano do primeiro ciclo. Foi franqueado à professora do IFRO o acesso ao material científico produzido pelo centro de investigação, além do acompanhamento da produção do material para as atividades práticas e intervenções, permitindo-a conhecer todo o ciclo de atuação do CIIL, desde as bases teóricas em que se funda até a aplicação de testes preliminares, intervenção junto ao último ano do pré-escolar com todos os alunos e primeiro ano do primeiro ciclo com os alunos que foram considerados em risco após resultados dos testes preliminares.

Conforme o edital que selecionou a representante do IFRO, durante o período de mobilidade era necessário elaborar e executar um Plano de Trabalho próprio, relacionado à pesquisa e/ou estágio profissional, e, em seu retorno ao IFRO, implementar um Plano de Regresso. Na avaliação de Márcia Letícia, é válido conhecer a atuação de um centro voltado para as dificuldades de leitura que, como é sabido, são evidentes no cenário educacional brasileiro. Ela ainda complementa que ao longo do ano 2018, o conhecimento construído no período de mobilidade será multiplicado em ações a serem implementadas no seu retorno a Porto Velho.

Fim do conteúdo da página