Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Estudantes participam de Curso de Capacitação de Monitores no Protocolo Florestal

Publicado: Segunda, 14 de Maio de 2018, 09h16 | Última atualização em Segunda, 14 de Maio de 2018, 09h16 | Acessos: 282

Estudantes do Campus Ariquemes em capacitação 3

Dez estudantes do IFRO (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia), Campus Ariquemes, se capacitaram em monitoramento participativo da biodiversidade em unidades de conservação da Amazônia. Eles estiveram presentes na terceira edição do Curso de Capacitação de Monitores no Protocolo Florestal. A atividade ocorreu na Floresta Nacional (Flona) do Jamari, no município de Itapuã do Oeste, em 28 de abril e 3 maio.

Nove dos 10 estudantes do Campus Ariquemes são da Licenciatura em Biologia e o décimo é pesquisador de Herpetologia também na instituição. Eles estavam acompanhados de alunos da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), estudantes de Itapuã do Oeste e três monitores voluntários.

Segundo o acadêmico do IFRO, Douglas Nonato, a comunidade é o principal agente de transformação no projeto Monitoramento Participativo de Biodiversidade, realizado em Unidades de Conservação (UCs) federais na Amazônia, em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). “Achei muito interessante esse novo conhecimento, é algo novo para nós acadêmicos. Além disso, foi muita coisa que aprendi nesse curso, que eu não sabia e pretendo voltar muitas vezes, pois agora sou um monitor da biodiversidade”.

A proposta da iniciativa é trocar conhecimento entre pesquisadores, gestores e populações moradoras das UCs e de seu entorno sobre a importância da biodiversidade local e de que forma elas próprias podem contribuir para protegê-la por meio do monitoramento. Para a coordenadora, Camila Moura Lemke, “os cursos são os principais instrumentos de capacitação desses monitores. Por meio das aulas, eles podem aprender sobre como fazer as coletas que são tão necessárias para a avaliação da biodiversidade nas nossas Unidades de Conservação”, afirma.

Os acadêmicos, nas aulas práticas, aprenderam sobre a instalação e revisão de armadilhas de borboletas. E foram capacitados quanto à biologia e identificação de espécies em uma das trilhas do monitoramento. Durante a aula na Flona também foi realizada a prática de censo de aves e mamíferos e coleta de dados de plantas lenhosas.

 

Fim do conteúdo da página