Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Estudantes de Edificações defendem projetos arquitetônicos em banca

Publicado: Quarta, 11 de Outubro de 2017, 12h02 | Última atualização em Quarta, 11 de Outubro de 2017, 12h02 | Acessos: 441

Tec em Edificações

Estudantes do Curso Técnico em Edificações Integrado ao Ensino Médio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Porto Velho Calama, defenderam projetos arquitetônicos para banca. A atividade de ensino visou fortalecer a capacidade crítica e propositiva dos alunos, como futuros Técnicos em Edificações.

Eles, que cursam o terceiro ano do curso técnico, estavam divididos em 24 grupos. A atividade foi no miniauditório do Campus Calama no dia 5 de outubro. “A defesa de Projeto Arquitetônico foi pensada para os alunos do 3º ano exporem seus projetos para a comunidade escolar, como resultado da evolução das etapas do projeto feitas por eles mesmos.  Esta é uma nova experiência para os alunos que acharam motivadora e enriquecedora e pretendo repetir nos próximos anos”, fundamenta a professora de Desenho Arquitetônico, Dândara Linhares Batista Barbosa.

Com o projeto, foi apresentado aos alunos o processo das etapas de elaboração do projeto, a utilização de materiais, instrumentos e ferramentas de desenho, bem como cultivada a habilidade, o esmero, o equilíbrio, a conformidade lógica e a unidade na apresentação dos trabalhos gráficos. Os alunos também puderam reconhecer as normas e as convenções utilizadas no Desenho Técnico e Arquitetônico e sobre a aplicação das Legislações Urbanísticas e Edilícias vigentes.

“A banca de avaliação das plantas baixas na disciplina de Projeto Arquitetônico dos alunos de Edificações é uma prática bastante interessante para o desenvolvimento do aluno frente às críticas de nossos trabalhos quando estamos atendendo a gostos peculiares de nossos clientes, além de trazer o aluno a vivência e cobrança do mercado de trabalho”, relata o Coordenador do Curso Técnico em Edificações, Celso José Roberto Soares Júnior.

Precisaram ser seguidas nos projetos as seguintes legislações vigentes: Código de Obras de Porto Velho, Lei de Uso e Ocupação do Solo, NBR13532 e NBR9050. Para direcionamento dos projetos, havia quatro diferentes perfis de clientes, que foram sorteados entre os grupos. Eles ainda precisaram passar por todas as etapas do anteprojeto e pela NBR6492, para apresentar à banca: Planta de Situação, Planta de Locação, Planta de Cobertura, Planta de Layout, Planta Baixa, Tabela de Esquadrias, Cortes e Elevações. A última etapa era apresentar e “vender” o projeto para o cliente (representado pela banca avaliadora).

Os perfis dos clientes que norteou o Projeto Arquitetônico foram:

PERFIL 01

Renato e Juliana são casados há três anos e não possuem filhos. Ele tem 31 anos e ela tem 28, Renato é professor de história e Juliana é nutricionista. Não são muito adeptos ao esporte e gostam de ir jantar na casa dos amigos. Renato quer um lugar para estudar e Juliana quer uma suíte.

PERFIL 02

Paulo tem 42 anos e é advogado. Divorciado, possui dois filhos que passam o final de semana com ele: João de 13 anos e Pedro de 8 anos. Paulo gosta de sair à noite e vai à academia quatro vezes por semana.

PERFIL 03

Célia e Cláudio são casados há 37 anos. Aposentados, querem uma casa que receba os netos nas férias para brincar. Célia é pintora e gostaria de um espaço para fazer seus quadros.

PERFIL 04

Mariana e Cleber são casados há 18 anos e possuem um filho, Samuel de 13 anos. Cleber sofreu um acidente de carro e há quatro anos está usando cadeira de rodas. Mariana é confeiteira e Cleber é jornalista. Em sua casa possuem um cachorro, Tobi.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página