Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Campus Jaru vence primeira etapa da Gincana Ecológica “Mororó Vivo”

Publicado: Terça, 12 de Setembro de 2017, 12h36 | Última atualização em Terça, 12 de Setembro de 2017, 12h36 | Acessos: 348

 Gincana em Jaru 5Com o objetivo de restaurar o Rio Mororó, afluente do Rio Jaru, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Jaru, esteve representado na gincana realizada dia 27 de agosto. Esta foi a primeira etapa da I Gincana Ecológica “Mororó Vivo”, que objetiva conscientizar toda a população jaruense da importância da preservação dos recursos naturais existentes no município. Foram nove equipes participantes e o time do IFRO foi campeão na gincana.

Como prova dessa etapa da Gincana os pontos avaliados foram: a equipe que recolhesse o maior volume de lixo, o lixo mais exótico e uma foto com um aspecto positivo e outra retratando uma abordagem negativa do rio. Durante a realização das atividades foi observado o empenho de todos os envolvidos, o que acarretou a conquista do primeiro lugar pela equipe do Campus Jaru, que foi muito comemorado adicionado com a sensação do dever cumprido. Do IFRO, participaram alunos, servidores e familiares.

Para o Professor do Campus, Mateus Gomes dos Santos, “essa atividade de extensão desenvolvida com os nossos alunos contribui para fortalecer nossa missão institucional de proporcionar ensino de excelência e qualidade. Visando formar pessoas cidadãs comprometidas com o desenvolvimento sustentável da sociedade”.

O aluno do curso Técnico em Segurança do Trabalho, Gleicon Silva de Souza, frisou que “a gincana foi um momento para que os discentes tivessem um ambiente de interação com os colegas e ao mesmo tempo contribuíssem para a construção de um ambiente melhor”.

Cirilo Pereira Rodrigues, presidente da ONG EPA – Evitando a Poluição do Ambiente, organizador do evento, destacou que sendo a primeira gincana ecológica, houve um número significativo de participantes: “não imaginávamos a quantidade de lixo que seria retirada das margens e leito do rio Mororó. A população está receptiva a se conscientizar, o que falta é mais sensibilização e atuação do poder público para fazer sua parte na preservação”. Ele também parabenizou o IFRO pela participação, “estamos contentes com essa parceria, vemos que essa instituição tem um diferencial na sua atuação, sempre buscando a interação com a comunidade e zelando pela formação técnica e cidadã dos seus alunos” ressaltou.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página